domingo, 29 de abril de 2012

Nova Zelândia

Salut, mes amis!
Sempre me surpreendi com os vinhos neo-zelandeses por seus aromas exuberantes, sempre repletos de fruta, tão diferentes de outros varietais produzidos ao redor do mundo, principalmente os brancos. Entre estes, prefiro os sauvignon blanc de Martinborough, tão cheio de notas florais, cítricas, de maçã, pêssego e maracujá.
Hoje, por indicação de um amigo, procurei no Pão de Açúcar um vinho da Yealands e escolhi um gewurtz para preparar e acompanhar uma fondue de queijo aqui no friozinho de Campos do Jordão.
Com certeza o vinho não decepcionou; além dos aromas e sabores esperados de Martinborough, o vinho contava com um adorável aroma de lichia, além de uma acidez marcante que não deixa o vinho "mole" como muitos exemplares desta cepa ao redor do mundo, exceção à Alsace, expert nestes varietais.
Dizem que a vinícola, além de lindíssima, é totalmente auto-sustentável, o que a torna um destino fabuloso para o enoturismo. E parece que é muito confiável, além de ser uma "best buy", pois foi escolhida para fornecer um varietal de riesling para o PDA, rotulado como Clube dos Somelliers.
Este fica para a próxima, talvez para acompanhar um peixinho grelhado...
Santé! Et au revoir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já que você suportou ler até aqui, por favor deixe sua impressão, comentário, sugestão, palpite, imprecação...