domingo, 7 de outubro de 2012

Primitivo di Manduria Luccarelli

Salut!
Nesta semana eu abri um Primitivo di Manduria, o Ampelo safra 2010, do produtor Luccarelli, localizado lá no salto da bota do mapa da Itália.
Eu já havia provado o Pazzia 2008, o "irmão rico" de primitivo do mesmo produtor, no primeiro encontro de uma confraria ainda sem nome que pretendemos fundar aqui em Santo André. Este é um ótimo vinho, denso, complexo, estruturado, carnudo - como seria de se esperar de uma uva como a primitivo (chamada de zinfandel pelos californianos), conhecida pela excelente maturação em climas quentes, que resulta em muita cor, açúcar e álcool. Possui aromas de geléias de frutas e ameixas secas, fumo com chocolate e café. Bem quente, mas com taninos e acidez bem equilibrados, traz uma sensação de doçura na boca mas sem enjoar. Na ocasião acompanhou um nhoque de abóbora com ragu de cordeiro muitíssimo bem.
Então, porque não encarar o irmão mais modesto? Por praticamente a metade do preço, o Ampelo demonstrou uma menor complexidade, o que me faz deduzir ao menos que ele passa menos tempo em barrica que o Pazzia. Mas os aromas estavam todos lá, não com a mesma intensidade, mas posso dizer que este é uma boa pedida para acompanhar algum prato mais substancioso da culinária italiana. Desta vez, encarou com gabardia um rigatoni com ragu de ossobuco. Redondo, carnudo, é uma ótima opção para quem gosta deste estilo de vinhos (principalmente encontrado no novo mundo), mas que já enjoou das versões mais açucaradas e sem acidez dos carmenères mais corriqueiros.
Manterei sempre uns primitivo Luccarelli na minha adega, ainda mais eu, que adoro uma comidinha italiana.
À la votre, mes amis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já que você suportou ler até aqui, por favor deixe sua impressão, comentário, sugestão, palpite, imprecação...