terça-feira, 26 de março de 2013

De Martino Viejas Tinajas Cinsault 2011

Salut, les amis!
A semana passada foi profícua em matéria de vinhos e o primeiro desarrolhado foi este cinsault chileno da De Martino do qual já tinha lido muita coisa interessante (recebeu 92 pontos no Descorchados 2012). A primeira curiosidade é que o vinho é produzido de maneira ancestral - fermentado, macerado e criado em velhas ânforas de barro gigantes. A seguinte é que é feito com velhas vinhas de cinsault que andavam meio "esquecidas", no vale do Itata. Resulta num vinho com uma densidade interessante, licorosa, aveludada, com um sabor agridoce e um residuozinho do gosto das ânforas, tipo a água que a gente filtrava antigamente naqueles filtros de barro... tem uma cor rubi clara, com reflexos mais escuros no centro da taça e roseados nas bordas, produzindo na taça muitas lágrimas densas, lentas e levemente coloridas.  Possui aromas de framboesa, groselha vermelha, geleia de morango e uma pontinha terrosa. Com tempo na taça, essa característica terrosa se acentua. Com taninos bem fininhos e o grande frutado, lembra os vinhos de maceração carbônica (eu nunca havia provado um cinsault tão "dócil"), mas tem uma estrutura, boa acidez... está ótimo e macio para beber agora, mas acho que vou guardar umas garrafas para verificar como envelhece.
3 estrelas. Comprei online na Bacco's por R$89,80.
Santé! Au revoir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já que você suportou ler até aqui, por favor deixe sua impressão, comentário, sugestão, palpite, imprecação...