domingo, 17 de março de 2013

Dica de Leitura: Vinho sem Segredos - Patricio Tapia

Salut, mes amis.
De um tempo para cá estou tentando me aprimorar um pouco na apreciação de vinhos. Há uns dez anos, passei a consumir esta bebida com mais frequência, e depois que tive a oportunidade de viajar e conhecer algumas regiões vinícolas o hobby ficou mais sério, se transformando em paixão mesmo.
No inicio era difícil achar literatura, havia poucas revistas, poucas importadoras, quase não havia blogueiros, só mesmo as figuras carimbadas que estão por aí até hoje... A gente lia o que havia disponível, sem saber fazer juízo de valor.
Como eu, deve haver muitas outras pessoas neta mesma situação, visto que o comércio e o consumo de vinho per capita vem aumentando constantemente, ainda que seja muito pequeno no país. Hoje, com a disponibilidade de literatura, quem quer - e não tem preguiça - consegue melhorar seus conhecimentos. Mas então percebe que muita coisa que ouviu até então era tremenda bobagem. A corrida pelo mercado que cresce trouxe muita gente sem o devido preparo, o que amedronta o novo consumidor ao invés de educá-lo. Títulos pomposos, blogueiros que escrevem errado e lojistas que mal sabem os nomes das regiões vinícolas (e que multiplicam mitos como "os franceses são complicados" ou "é quase impossível achar um bom custo/benefício na França, tentando empurrar aquela safra antiga de outra região que enche seu estoque) pululam por aí. Outro dia vi na rede social de uma grande importadora "Bordeaux" escrito errado. Por Tutatis! Logo essa que é uma das mais famosas regiões do mundo! Não sou profissional da área, mas já que me propus a escrever este blog, procuro ao menos escrever direito. Talvez escape algum erro de ortografia, ou talvez meu estilo de escrita seja um pouco inadequado. Mas eu procuro me esforçar para escrever o mais corretamente possível. Pesquiso, e sempre procuro citar as fontes bibliográficas. Se tenho dúvidas na ortografia, procuro um dicionário. Minha esposa acaba de me dar umas dicas para aprimorar a estrutura do blog que, assim que tiver tempo para superar minhas dificuldades com a informática vou colocar em prática. E por aí vamos.
Como exemplo, nesta semana aconteceu em São Paulo uma degustação vertical de Almaviva, e a principal repercussão que eu vi nas redes sociais foi na página do Luiz Horta no Facebook, na qual ele disse que não iria comparecer por ser obrigatório o uso de black-tie - em um evento às 17 horas em pleno verão paulistano. Como ele, outros enófilos seus amigos também decidiram não ir ao evento por acharem uma brejeirice sem tamanho e os comentários convergiram para a conclusão: "depois falam em descomplicar o vinho...".
Por isso fico feliz quando vejo algo objetivo e instrutivo, divulgado em linguagem acessível e cativante. Foi o que aconteceu ao ler "Vinho sem Segredos" de Patricio Tapia, um livro que estava esquecido na estante e que foi reencontrado ao procurar alguma literatura para a patroa, que também quer se aprofundar nos assuntos de Baco. Um livro básico, mas que não deixa de conter informações úteis mesmo aos já iniciados, escrito numa linguagem fácil, gostoso de ler. Super-recomendo. Como resultado incontinenti comprei o último Guia Descorchados, do mesmo autor, já que pretendo conhecer um pouco mais do Chile. Só ao folheá-lo na livraria já percebi que será outra leitura prazerosa - embora seja em formato de guia, as resenhas dos vinhos são muito bem escritas em linguagem simples e entremeadas por muitas informações das regiões e das vinícolas. O próprio autor se auto satiriza dizendo que, embora não seja "fã" da linguagem "poética" para descrever os vinhos, às vezes não aguenta e sucumbe à tentação das figuras de linguagem. Ainda bem que existem Patricios Tapias no mundo do vinho...




2 comentários:

  1. Boa tarde, Carlos:

    Sou Maria, espanhola, moro no Rio de Janeiro há um ano.

    Eu também sou uma grande paixão pelo vinho, com muito a ser aprendido ainda.

    Tenho vivido no Chile por 8 anos e lá tive a oportunidade de conhecer de Patricio Tapia.

    Ele é um grande profissional, um jornalista honesto e exato e uma pessoa nas proximidades e com um grande senso de humor.

    O acima exposto reflete isso em seus livros e artigos. Ele também é acompanhado por uma grande equipe.

    Concordo com você que devemos afastar o "EnoStarts" e receber o vinho de um simples ponto de vista. É a única maneira para mim para apreciá-lo.

    Enhora pelo seu post e pedido de desculpas, mas ainda assim meu português não muito perfeito.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Maria,
      Obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário (seu português está ótimo, não se preocupe... rsrs). Realmente, embora eu não conheça o Patricio Tapia pessoalmente, através de outras pessoas que o conhecem e de publicações de entrevistas e matérias a seu respeito, percebo que se trata de um sujeito simples, honesto e amante apaixonado dos vinhos e dos trabalhos que o vinho lhe proporciona. Oxalá todos os profissionais do vinho fossem assim...
      Volte sempre, eu escrevo este blog para trocar ideias e também tenho muito a aprender com quem visita e deixa seus comentários.
      Abraços,
      Carlos

      Excluir

Já que você suportou ler até aqui, por favor deixe sua impressão, comentário, sugestão, palpite, imprecação...