sexta-feira, 31 de maio de 2013

Almaviva 2009

Salut les amis!
Dia desses tivemos o prazer de receber em casa um casal de grandes amigos enófilos para degustarmos uma das garrafas de Almaviva que meu amigo Marcelo (este é abstêmio...) trouxera de sua recente viagem ao Chile. Corte de 73% cabernet sauvignon de Puente Alto, 22% carmenère de Peumo, 4% de cabernet franc e 1% de merlot, envelhecido por 18 meses em barricas francesas.
Como era de se esperar foi uma noite memorável, pois realmente o vinho atende às expectativas criadas em torno dele. O coloquei no decanter mas, ansiosos que estávamos, já despejamos um pouco na taça para tomarmos a primeira impressão.
De uma belíssima e profunda cor rubi com meio púrpura, com halo ainda transparente e lágrimas densas, espessas e lentas, bem coloridas. Nariz muito complexo de frutas negras - até um pouquinho doces como uma geleia de amora - cedro, um pouco de cacau, pimenta negra e algum outro aroma especiado, que identifiquei como uma mostarda escura (!?) e cravo.
Na boca é encorpado, denso mas muito aveludado, com taninos presentes e redondos e madeira muito bem integrada. Na primeira taça o álcool (14,5%) se mostrou um pouquinho, mas depois de decantado o vinho se mostrou quase sublime, com a explosão das frutas, embora muito equilibradas com a acidez ótima. O final é muito longo, deixando no palato uma textura gostosa, licorosa. Dizem que o ano de 2009 foi profícuo no Chile, as uvas atingindo uma ótima maturação. Grande vinho já para beber agora, imagino daqui a algum tempo...
Como já disse em posts anteriores, talvez eu não seja grande fã dos vinhos do Novo Mundo pelo fato de os vinhos mais correntes serem muito desequilibrados, com uma concentração muito grande em detrimento da elegância. Bebendo estes vinhos mais top creio que reverei conceitos. Este é um caso em que se percebe claramente a influência européia, através da Barons de Rotschield, na joint venture com a Concha y Toro para a elaboração deste ícone chileno elaborado no Vale do Maipo.
Santé!


4 comentários:

  1. Vou te dar minha opinião sincera.
    O vinho é otimo. Faço apenas 2 ressalvas:
    - açúcar residual muito alto.
    - pelo seu preço há vinhos muito melhores.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rogério! Obrigado pela visita e por ter deixado este comentário.
      Espero conhecer mesmo vinhos melhores e com melhor relação de valor, senão acabo falindo! rsrs
      Como já disse em algum lugar por aqui, não conheço muito bem os vinhos Sul-americanos, fui direto dos basicões para os europeus e ficou esta lacuna que pretendo resolver, e pra isso também tem me servido bem este blog, sempre recebo dicas bacanas.
      Abraços.

      Excluir
  2. Parabéns pelo blog.
    Experimente, se possível, o Casa Real e o Montelig, visto que tem predileção pela elegância. São vinhos muito elegantes, na mesma faixa que o Almaviva (mais baratos porém).

    Abraço, e bons vinhos!
    Felipe.
    http://bebadovinho.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Felipe, e parabéns pelo seu também, já estou lá seguindo suas publicações!
      Valeu pela visita e pelas dicas, vou procurar estes vinhos.
      Abraços.

      Excluir

Já que você suportou ler até aqui, por favor deixe sua impressão, comentário, sugestão, palpite, imprecação...