segunda-feira, 19 de maio de 2014

Diário de Viagem - dia 2 - Nice

Salut les amis!
Para não esquecer os momentos que estamos passando em França, resolvi traçar aqui no blog estas mal escritas linhas, espero sempre ter um tempinho disponível para compartilhar nossas travessuras por aqui.
Como é bom chegar de avião em Nice, passando por cima da Côte d'Azur, com aquele Mediterrâneo turquesa lá embaixo! Na verdade é até um pouco assustador quando o avião inicia a descida para a aterrissagem, parece que vai esbarrar no mar... Mas a vista vale muito a pena!
Ficamos hospedados numa travessa da Promenade des Anglais, a avenida à beira-mar, e a vista da sacada do nosso quarto é sensacional.
Come-se e bebe-se muito bem por aqui. Frutos do mar são abundantes e muito bem acompanhados pelos vinhos provençais. Ontem, depois de passear pelo calçadão à beira da praia, jantamos no Le Siècle, na Promenade. Comemos linguini com frutos do mar e risoto de saint jacques, bebemos um Côtes de Provence rosé Château des Demoiselles 2013 muito fresco, aromático, delicioso. Esta propriedade é bem famosa por aqui porque já foi dos Grimaldi, aquele povo que manda no principado de Mônaco.
Hoje o tempo amanheceu bem nublado, então aproveitamos para caminhar bastante e fazer umas comprinhas pelo centro velho, Place Masséna, Avenue Jean Médecin, onde ficam as lojas mais badaladas, o Nicetoile - um belo shopping center - e a filial da Galleries Lafayette. Também fomos no Monoprix, onde compramos comidinhas e bebidinhas para levar (o preço do vinho nacional é ridículo para os nossos padrões!).
Almoçamos no La Petite Maison, na Rue St. François de Paule, que foi indicação da Mme. Victorine Babe, do Mas de Daumas Gassac, com quem conversei no ultimo encontro Mistral. O atendimento é um pouco "brusco", mas a comida é boa - comemos uma bela salada niçoise e frutos do mar fresquíssimos, mas a bouillabaisse que acompanhava o prato demorou para vir, o que nos irritou um pouco (o pessoal era meio lento, ou será que a gente é que é muito pilhado?). Tomamos outro belo vinho rosé da região, o Bandol Moulin de la Roque Grande Reserva 2012, 100% mourvèdre, mais encorpado que os delicados e fragrantes Côtes de Provence.
E depois de passear mais um pouco e voltar para o hotel para um descansinho, saímos para jantar no Les Caves du Bubbles, uma proposta legal de bar à vins/restaurante com uma grande oferta de champagnes e de vinhos em taça. Iniciamos com um assiète (prato) de salmão defumado, acompanhado pelo ótimo Laurent Perrier rosé. Depois minha mulher pediu um risotto aux cèpes, que ela decidiu acompanhar com um pinot noir da borgonha e eu fui de conchiglie foie gras aux artichauts et crème trufée (que na verdade era um penne, com molho branco trufado, com alcachofras e foie gras) - delicioso! Pode parecer estranho, mas a garçonete me aconselhou a harmonizar com um Pouilly Fumé Baron de Ladoucette, e o casamento foi perfeito. Acho que estamos muito acostumados com os vinhos mais tropicais de sauvignon blanc, demasiado frutados e "crocantes". Por outro lado, este vinho do vale do Louire tem mais equilíbrio, o frutado puxa mais para maçã ou pêra, o caráter vegetal é mais maduro, enfim, resulta em um vinho mais "gordo" que acompanhou muito bem o prato. E para terminar, dividimos uma pannacota aux fruits rouges. 
Bom, e tem ainda uns champagnezinhos gelando no frigobar, afinal hoje é o meu aniversário...
Santé! Au revoir!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já que você suportou ler até aqui, por favor deixe sua impressão, comentário, sugestão, palpite, imprecação...