quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Diário de Viagem - dia 8 - Château de Pommard e Côte de Beaune

Salut les amis!
Saindo do nosso almoço no Le Montrachet, seguimos pela Route des Grands Crus em direção à Beaune, chegando em Meursault - terra dos cheios e untuosos vinhos brancos e da igrejinha típica de torre quadrada; pouca gente sabe, mas esta comuna também produz vinhos tintos, bem na divisa com Volnay, e por isso recebem a apelação Volnay-Santenots. 
À frente no nosso caminho estava Volnay - terra dos lendários vinhedos de Les Caillerets e Taille Pieds - e Pommard, dos "rústicos" Rugiens. Cabe aqui registro que meu interesse pela Bourgogne se transformou em verdadeira paixão quando, em minha última viagem, degustara - de um mesmo produtor e da mesma safra - dois vinhos de mesmo nível, um Volnay e um Pommard, tão diferentes, mas tão diferentes entre si... e a única e direta explicação para isso é uma falha geológica que ocorre na divisa entre os vinhedos! É realmente de se impressionar, esse terroir bourguignon... como eles dizem, é um verdadeiro mille-feuille geológico!  Muitos enófilos distinguem Volnays de Pommards como vinhos "femininos" e "masculinos". Não creio que seja algo tão radical, tipo Yin e Yang. É algo mais sutil, como uma paleta de vermelho onde vai-se acrescentando azul - digamos que é uma diferença do violeta ao púrpura, metaforicamente falando. Os Pommard tem mais tanino, mais força, mas nem por isso os Volnay são mais frágeis e menos complexos...

Vinhedos Premier Cru em Meursault - dizem que o village não possui nenhum Grand Cru pois, na ocasião da definição das apelações, muitos proprietários acreditavam que seu vinho era muito superior para ser comparado a outros vinhos da Côte...




Vista dos vinhedos Premier Cru de Volnay



O vinhedo murado des Épéneaux - ou Épénots - comuna de Pommard
E depois de passear um pouco de carro entre os vinhedos, ao chegar em Pommard nos deparamos com o Château de Pommard - e estava aberto para visitação, embora fosse domingo! Fomos muito bem recebidos e, cerca de 20 minutos depois de chegar e conhecer os belos jardins do château, iniciamos uma visita muito bem guiada por M. Étienne, que nos conduziu pelas dependências abertas da propriedade, pelo vinhedo murado - o clos - a cave e uma boa degustação para terminar. A propriedade tem um ar todo aristocrático, mas apesar de toda a pompa está incrustada na região de vinho comunal de Pommard. Ao longo da visita, Étienne nos contou sobre a longa história de mais de quatro séculos do château, e nos falou da paixão de seu atual proprietário pelas artes - o castelo possui entre seus bens permanentes belas esculturas de Dali e na ocasião da nossa visita estava acontecendo uma mostra com mais obras do artista, como também de Picasso e Miró, entre outros pintores e escultores - uma exposição magnífica! 
Também conta com um pequeno museu vinícola, onde se encontra um velho pressoir (prensa de uva) e diversos utensílios do cultivo da vinha e da produção do vinho. Existe também, aberta à visitação, uma antiga cozinha do château, toda ambientada como se ainda estivéssemos passando da Idade Média à Idade Moderna.
O castelo também funciona como cave cooperativa para viticultores de outros villages, possuindo um extenso repertório de vinhos bourguignons em seu portfolio.

















E depois de terminar a visita com algumas comprinhas, seguimos com destino à Beaune, passando por mais algumas belas paisagens da Côte de Beaune:


No final da nossa andança tivemos que nos apressar um pouco, afinal tínhamos reserva para o Le Benaton, restaurante estrelado no centreville de Beaune, onde também passaríamos por ótimos momentos!
Au revoir! Santé!




























































2 comentários:

  1. Que materia maravilhosa amigo parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só porque tenho um bom "mestre" quando o assunto é Bourgogne... rsrs
      PS.: da próxima vez que cruzar com um velho de Montille, não deixe ele escapar!
      Abraços!

      Excluir

Já que você suportou ler até aqui, por favor deixe sua impressão, comentário, sugestão, palpite, imprecação...