domingo, 13 de abril de 2014

Tignanello 2007 com ossobuco e risotto alla milanese


Salut les amis!
Há muito tempo eu não cozinhava, então no último domingo resolvi fazer um ossobuco, prato que nos lá em casa adoramos. A patroa se encarregou do risoto milanês.
Para acompanhar este prato, entre os vinhos italianos que eu dispunha na minha adega, resolvi abrir o Tignanello 2007, um toscanão do Antinori, corte de sangiovese com "um pouco" de cabernet, segundo o rótulo.



O vinho tem umas partículas em suspensão, então o tirei da cave logo cedo e passei para o decanter uma hora antes da refeição. Mantive o decanter sobre água gelada para manter o vinho a uns 18oC, mais quente que isso ele não mostra seu lado mais "elegante". Tem uma bela cor rubi muito profunda, com reflexos violáceos no meio da taça e granada na borda, com lágrimas densas e lentas. É um vinho bem maduro, o primeiro nariz demonstrando geleia de frutas vermelhas, mas já com aquele caráter meio rústico, terroso, tão presente nos vinhos italianos. Conforme vai se abrindo, começa a demonstrar notas especiadas (pimente, cravo), até um pouquinho mentoladas, e de cedro. Na boca é intenso, rico e aveludado, mas tem acidez suficiente para fazer um bom contra-ponto ao frutado, que finaliza com um longo  retrogosto de compota de frutas vermelhas e ameixa.
O vinho acompanhou muito bem o ossobuco, como eu costumo colocar um pouco de cenoura para "quebrar" a acidez dos molhos de tomates mais encorpados, resultando num molho mais suave, a fruta intensa equilibrada com a acidez e o volume do vinho na boca fizeram um ótimo casamento com a maciez e a gordura da carne e do tutano, estava uma delícia...
Ainda bem que não pretendia fazer mais nada no domingo à tarde...
Santé!