terça-feira, 16 de junho de 2015

Nada como um bom e velho Bourgogne - François Buffet Volnay Champans 1er Cru 1977

Salut les amis!
Como eu sempre digo: nada como um bom e velho Bourgogne para desopilar o fígado, desanuviar os pensamentos e nos elevar ao nirvana (não, o vinho não cheira a Teen Spirit...). O velhinho aí é da minha idade e, embora não tenha sido um grande ano na Côte d'Or (em muitos poucos lugares este ano produziu uma ótima safra), esse 77 ainda rocks! De uma cor rubi com reflexos acastanhados, esteve ainda um pouquinho turvo no início, mesmo eu tendo deixado a garrafa em pé com bastante antecedência para decantar a borra e o tratado com muito carinho no momento de servi-lo - naturalmente, na hora de tirar a rolha, exigiu o saca-rolhas de lâminas e fez uma sujeira danada... até a cápsula de chumbo estava fragilizada. Mas o vinho não estava fraco não!
Com aromas de couro, rosas, violeta, cravo, morango, terra molhada, champignons e um toque levemente balsâmico, tipo vinho do Porto. Na boca, ainda equilibrado, com boa acidez, sedoso, quente, etéreo. Retrogosto floral, especiado, muito longo.
Da comuna de Volnay, na Côte de Beaune, pertinho de Pommard (esses vilarejos parecem se misturar em meio de seus vinhedos), este vinho traz muito da tipicidade conferida aos seus Premier Cru: muitas vezes são caracterizados como os mais "femininos" vinhos da Côte d'Or, devido ao toque sedoso no palato e seus aromas florais.
Enfim, mes amis, quando estiverem melancólicos, contemplativos, até mesmo sorumbáticos - bebam um velho Bourgogne para botar a cabeça em ordem. Ou quando estiverem alegres, exaltantes e cheios de motivos para comemorar, bebam um velho Bourgogne para celebrar!
À la prochaine! Santé!