terça-feira, 25 de outubro de 2016

Ainda sobre a viagem à Florida - restaurantes e loja de bebidas em Orlando

Hello buddies!
Ainda tem alguns pontos sobre minha última viagem à Orlando que gostaria de compartilhar aqui no blog, partindo de onde parei no meu último post (veja aqui).

Esta foto noturna do totem do Bonefish Grill na Central Florida Pkwy saiu bem ruinzinha - por isso está pequenininha...

Gostamos de comer em um restaurante chamado Bonefish Grill, de uma rede fundada ali na Florida mesmo e que já se expandiu pelos EUA. No nosso caso, que costumamos ficar hospedados no Marriot Residence Inn, no Westwood Blvd., pertinho da Sea World, o restaurante fica bem próximo, na esquina com a Central Florida Prky. Na volta dos passeios sempre paramos por ali para fazer compras na CVS, que fica no mesmo plaza que o restaurante, então em algumas oportunidades aproveitamos para jantar. Ali encontra-se boas opções de carnes, peixes e massas em um menu bem completo e uma carta de vinhos bem escolhida. Na primeira vez que jantamos ali comi um steak acompanhado de um pinot noir encorpadão chamado Meiomi, assemblage de três distintos terroirs californianos:
Sonoma fica ao norte de San Francisco, Monterey ao sul e Santa Barbara se localiza bem mais ao sul, já próxima a Los Angeles. Todas recebem uma forte influência marítima, sendo que em Monterey ocorre um clima mais ameno devido à proximidade com a baía, que proporciona mais umidade e um tempo maior de maturação às uvas. Por causa destas variáveis, o vinho apresenta um leque muito grande de características organolépticas: tem aromas de frutas vermelhas e negras, chocolate, violeta e tostado. Encorpado, com boa acidez e taninos presentes, bem integrados; com final de especiarias como cravo, canela e pimenta preta. Me pareceu um vinho bem "tecnológico". Atualmente este vinho está no catálogo da Mistral aqui no Brasil.
Certa vez jantamos no Trio, um "italiano" na praça de alimentação do Mall at Millenia. Estava uma noite agradável, quente, então resolvi pedir um prato de massa com frutos do mar e um chardonnay leve para acompanhar - infelizmente o prato estava tão apimentado, quase intragável... preferi só beber o vinho.



Cuidado com a pimenta nos restaurantes na Florida... Embora goste de pratos levemente picantes, eu sempre pergunto. Mas desta vez o garçom me enganou...
Este se mostrou um chardonnay californiano muito bem equilibrado, o que não é lá coisa muito comum. O vale do Russian River, composto principalmente de solos arenosos, se estende do condado de Sonoma, ao norte de SF, até a região do Mendocino, a uns 40km da costa do Pacífico, sofrendo portanto um pouco menos de influência marítima que os terroirs anteriormente citados, mas tem uma amplitude térmica muito grande durante o dia, com noites frescas, o que favorece a acidez correta das uvas no momento da colheita. Este vinho demonstrou aromas de frutas brancas (pera, pêssego) e toques cítricos de maçã verde, com um toque leve de baunilha indicando que passou por barricas. Com corpo médio, sem perder o frescor. Final longo e frutado.
Sempre vamos também ao Olive Garden, outra rede de restaurantes de acento italiano bem comum por lá. Tem bons pratos, ambiente gostoso e preço bom. Como na noite anterior, o repasto se resumiu a pasta com frutos do mar e vinho branco - desta vez, um italiano da boa azienda toscana Rocca delle Macìe.



Corte de chardonnay, vermentino, pinot griggio e trebbiano. Aromas florais, grapefruit, abacaxi. Mineral e "crocante" na boca, super-fresco. Caiu super-bem na noite quante de verão. 
No dia seguinte passamos, na volta de algum parque, pela Total Wine & More, um verdadeiro hipermercado de wine&spirits. Infelizmente ficamos pouco tempo por lá, pois estávamos exaustos, ainda assim deu para garimpar ótimas compras. O preço dos Bordeaux é bem atrativo, me chamou à atenção. Minha mulher disse que eu estava parecendo pinto no lixo, perdidinho em felicidade no meio daqueles corredores "temáticos" - a área de vinhos é toda dividida por região produtora, e quanto às demais bebidas cada uma tem um próprio setor - um corredor só de vodka, outro de rum, um de whisky (scotch de um lado, bourbon de outro)... Deus! é o Paraíso na Terra!

Uma imensa adega climatizada abriga as garrafas mais valiosas da loja
Esta seção de Sauternes me deixou extasiado! Variedade de rótulos - e safras!

Galões de bourbon em promoção - menos de R$10 por litro!
Nosso último jantar em Orlando foi também no Bonefish, e desta vez pedimos ótimos pratos de camarão e um chardonnay do Coppola para acompanhar. Os pratos, como sempre, estavam deliciosos, e o vinho, também de Russian Valley, apresentou o corpo e as caracterísitcas mais esperadas para um chardonnay californiano.




Aromas de abacaxi, pêssego em calda e crème brulée. Boa cremosidade e boa mineralidade na boca, final de caramel au beurre salé, com uma pontinha cítirca...
E foi assim, meus amigos, nossa última visita à Orlando, uma gigantesca cidade das crianças onde os adultos também se divertem. Pois como diria Washington Olivetto, ali só os patetas comem mal...
See you!